Imprensa

Receba nossa Newsletter



Importações de carne bovina da China devem desacelerar em 2021 com menor oferta australiana, diz Rabobank

11/12/2020 - Importações de carne bovina da China devem desacelerar em 2021 com menor oferta australiana, diz Rab

O crescimento das importações de carne bovina da China desacelerará para menos de 20% no ano que vem, disse um importante analista da indústria na terça-feira (8), em meio à menor oferta do principal exportador Austrália e à medida que o país aumenta a produção doméstica de carne suína.

A China, que responde por um quarto do comércio global de carne bovina, expandiu rapidamente suas importações de carne bovina nos últimos anos, com os embarques aumentando 60% no ano passado para 1,66 milhão de toneladas e 40% neste ano até agora.

Mas as importações do terceiro maior fornecedor da China, a Austrália, devem cair em meio à produção menor e ao aumento das tensões políticas entre os dois países, disse Pan Chenjun, analista sênior do banco holandês e consultoria de agronegócio Rabobank, em uma coletiva de imprensa.

A China suspendeu seis fábricas de carne bovina australianas de abastecer seu mercado até agora este ano, citando razões como questões de rotulagem.

“Por esse motivo, acho que as importações (crescimento) da China não serão tão fortes quanto nos dois anos anteriores, e talvez menos de 20%”, disse ela.

Seu suprimento de suínos também está se recuperando “muito mais rápido do que o esperado”, depois que o maior rebanho de suínos do mundo foi devastado por uma epidemia de peste suína africana.

Uma relação próxima entre os preços da carne suína e bovina este ano - anteriormente mais óbvia entre carne suína e de frango - demonstrou que os consumidores estão substituindo carne suína por carne de porco, disse Pan.

Os testes de alimentos congelados para o coronavírus nos portos chineses também desaceleraram as importações de carne bovina, mas não se espera que tenham um impacto de longo prazo, acrescentou ela. A demanda geral por carne bovina na China continua forte, no entanto, refletida nos altos preços domésticos.

Com os restaurantes fechados durante o bloqueio chinês no início deste ano para evitar a disseminação do novo coronavírus, os consumidores passaram a comprar carne para cozinhar em casa, aumentando as vendas no varejo de uma carne que não faz parte da dieta tradicional chinesa.

“A epidemia foi um ano realmente revolucionário para a carne bovina e trouxe a carne bovina dos canais de alimentação do passado ao consumo doméstico”, disse Pan, que observou o papel desempenhado pelas plataformas de comércio eletrônico de rápido crescimento da China.

 

Fonte: REUTERS adaptação IHS Markit

Compartilhe:

Índice

Consultoria
Projetos que englobam aspectos socioeconômicos, mercadológicos, técnicos e comerciais da atividade agropecuária.
Business Intelligence
Estudos de pesquisas de mercado, análises setoriais e competitivas.
Palestras
Confira as últimas apresentações dos analistas da Informa Economics FNP sobre as diversas áreas e segmentos do agronegócio.
Publicações
Anuários, boletins e relatórios em português e inglês.
Quem Somos | Pecuária | Grãos | Açúcar/Etanol | Terras | Insumos | Anualpec | Agrianual | Imprensa | Consultoria | Business Intelligence | Palestras | Publicações
IEG FNP | Agribusiness Intelligence
Avenida Paulista, 726 – 17º andar – Bela Vista, São Paulo – SP - 01310-100
Tel.: + 55 11 4504-1414
e-mail: DL-Agribusiness-fnp@ihsmarkit.com
Copyright © 2020 IHS Markit. All Rights Reserved