Imprensa

Receba nossa Newsletter



Abate precoce de bovinos aumenta 800% em 14 anos em MT

04/12/2020 - Abate precoce de bovinos aumenta 800% em 14 anos em MT

 Tendência de produção de carne de animais cada vez mais jovens se confirma em 2020. Foco é atender mercados como a China

O ano de 2020 vai terminando com a tendência confirmada de redução no abate de bovinos mais velhos, com mais de 36 meses. Em 2006, o estado de Mato Grosso chegou a ter 65% do volume total de abates feitos com animais nessa faixa etária. Nestes últimos 14 anos, tem ocorrido uma grande queda nesse percentual, que desde 2019 está em 31% - uma redução de 78%.

Os animais com faixa etária compreendida entre 24 e 36 meses respondem, atualmente, por 51% do volume anual de abates em Mato Grosso. De 2006 para cá, esse índice aumentou 54%. Embora considerável, não se compara com os 800% de incremento registrado pelos bovinos com menos de 24 meses, cujo percentual atual é de 18% - tendo sido de 2% em 2006.

Os dados são do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT) e refletem a resposta rápida do mercado da carne bovina do estado para atender uma demanda cada vez mais clara por parte do mercado externo. Um exemplo é a China. Atento à segurança sanitária, o governo chinês definiu um requisito técnico para a importação de carne bovina que acaba resultando na procura por animais mais novos.

“Atualmente, a China possui um requisito, decorrente das medidas de prevenção à encefalopatia espongiforme bovina (EEB), de que todo bovino a ser abatido para a exportação de carne a este país tenha, no máximo, 30 meses de idade”, explica Jean Carlo Cury Manfredini, médico veterinário e adido agrícola em Pequim. Até outubro de 2020, o bloco formado por China e Hong Kong respondeu por 56% das exportações totais de carne bovina mato-grossense.

Para que o abate precoce signifique, de fato, uma carne com qualidade superior, todo o ciclo produtivo é modificado – da reprodução à embalagem do produto final. “É um sistema de produção específico, com cuidados que começam ainda no melhoramento genético. Não basta ‘apenas’ abater mais cedo: é preciso que os animais mais jovens tenham ganho de carcaça. E isso se faz com investimento na nutrição animal, na forma de manejo dos animais, no uso de insumos adequados, na qualificação de mão-de-obra”, explica Bruno de Jesus Andrade, diretor de Operações do Instituto Mato-grossense de Carne (Imac).

Cuidados como esses garantem uma carne com padrão mais elevado de qualidade, e os mercados compradores pagam por esse diferencial. O chamado “boi China” é cotado em patamares superiores do ‘convencional’. Ao longo de 2020, a diferença ficou, em média, em R$ 10,00 a mais por arroba na praça de Mato Grosso.

E a tendência é de que a busca por carne vinda do abate precoce continue crescendo. “Principalmente nas grandes cidades chinesas, entre a população mais jovem e de alto poder aquisitivo, vemos uma tendência de crescimento do hábito de consumo de carne bovina como item principal da refeição. Nesses casos, a carne consumida é muitas vezes resfriada, e não congelada, vinda de animais jovens”, observa o adido agrícola.

Além do apelo comercial, há ganhos ambientais. Animais mais jovens são mais eficientes em aproveitar os alimentos e o tempo de produção é menor. Com isso, podem produzir menos gases de efeito estufa, reduzindo o impacto da pecuária no ambiente a cada quilo de carcaça produzida.

Fonte: Notícias Agrícolas com adaptação da IHS Markit

Compartilhe:

Índice

Consultoria
Projetos que englobam aspectos socioeconômicos, mercadológicos, técnicos e comerciais da atividade agropecuária.
Business Intelligence
Estudos de pesquisas de mercado, análises setoriais e competitivas.
Palestras
Confira as últimas apresentações dos analistas da Informa Economics FNP sobre as diversas áreas e segmentos do agronegócio.
Publicações
Anuários, boletins e relatórios em português e inglês.
Quem Somos | Pecuária | Grãos | Açúcar/Etanol | Terras | Insumos | Anualpec | Agrianual | Imprensa | Consultoria | Business Intelligence | Palestras | Publicações
IEG FNP | Agribusiness Intelligence
Avenida Paulista, 726 – 17º andar – Bela Vista, São Paulo – SP - 01310-100
Tel.: + 55 11 4504-1414
e-mail: DL-Agribusiness-fnp@ihsmarkit.com
Copyright © 2020 IHS Markit. All Rights Reserved